DEIXANDO DE FUMAR

Mais ou menos 70% de quem fuma pretende deixar de fumar. Mas uma pequena porcentagem tem sucesso e aqueles que conseguem, grande parte tenta de cinco a sete vezes antes de deixar o hábito em definitivo.

A dependência da nicotina é um problema de difícil superação. A determinação em deixar o vício é um dos itens preponderantes para parar de fumar e está ligada a uma série de fatores ambientais, fisiológicos, psicológicos e hereditários.

Fora a determinação, quem fuma enfrenta alguns itens que torna esse processo mais difícil. Entre os itens um dos grandes pontos que impulsionam a manutenção do vício é a síndrome de abstinência. Existe uma oscilação na intensidade dos sintomas entre os fumantes e geralmente tem início pouco tempo depois da interrupção, tendo aumento nas primeiras 12 horas e chegando ao pico no dia terceiro.

No começo da noite aumenta angústia e as maiores reclamações é com o aumento da irritabilidade, dificuldade de concentração, compulsividade, sonolência, agitação, além de atos hostis.
Estes sintomas podem ser notados por um mês ou mais; entretanto compulsivas alterações podem se prolongar por meses ou por anos.

O nível de dependência da nicotina é um outro grande problema. Quando seis ou mais pontos é atingido pelo fumante no teste de Fagestrom (nível de dependência muito alto), o fumante é classificado como inveterado.

As pessoas com mais peso na maioria das vezes fumam o primeiro cigarro meia hora após o despertar. Fora isso notam a dificuldade de desistir e ficam com a auto confiança baixa. Entre a variedade de maneiras de se abordar esses fumantes, a carência de aumentar a motivação pode ser destacada, sem isso esses fumantes não terão sucesso em deixar de fumar.
Grande quantidade deles contam que desejam deixar de fumar; porém essa vontade expressa de forma verbal não condiz com seus sentimentos verdadeiros para com o fumo, pelo fato de não estarem determinados a fazer isso.

Um fator que torna mais difícil o abandono do vício é o ganho de peso. Quem fuma geralmente pesa mais do que quem não fuma e engordam quando deixam de fumar, segundo estudos clínicos e epidemiológicos. A utilização da nicotina acarreta em um período de perda de peso, segundo a maioria dos estudos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *